O que é Pirâmide de Maslow? – Confira as 5 necessidades!

O que é Pirâmide de Maslow? Como funciona essa pirâmide e por que ela é tão conhecida no âmbito psicológico? Como podemos aplicar os princípios de necessidades da pirâmide em nossas vidas e melhorar nossa adaptabilidade a tudo que é novo e estranho? No conteúdo de hoje, vamos explicar a você o que é Pirâmide de Maslow. Leia com a gente e saiba mais, vamos lá!

O que é Pirâmide de Maslow?

A pirâmide de necessidades de Maslow é uma representação visual esquemática da hierarquia das necessidades humanas. Nascida no campo da psicologia social, ao longo do tempo teve aplicações em campos muito diferentes e, apesar das críticas, continua sendo um dos modelos mais funcionais sobre a motivação das pessoas.

Necessidades e motivações: os princípios da teoria de Maslow

A hierarquia de necessidades de Maslow é a teoria formulada pelo psicólogo americano Abraham Maslow que consiste em um modelo de cinco níveis de necessidades primárias humanas identificadas em:

  • Fisiológica;
  • Segurança;
  • Afeto;
  • Autoestima;
  • Autorrealização.

Maslow se refere às quatro primeiras como “necessidade de deficiência”, que, se não satisfeitas, provocam um estado de tensão e ansiedade que impede a pessoa de satisfazer necessidades mais evoluídas, como a plena realização em primeiro lugar e a escolha – puramente representativa – de um esquema de pirâmide serve para enfatizar justamente a ideia de uma hierarquia precisa de necessidades que guiaria o homem em todas as suas ações.

As 5 necessidades da pirâmide de Maslow

O que é Pirâmide de Maslow já sabemos, agora, vamos explicar um pouco de cada uma das 5 principais necessidades que citamos um pouco mais acima. Leia e entenda um pouco mais sobre cada uma:

Necessidades fisiológicas

O primeiro passo (a partir da base) da pirâmide de Maslow é representado pelas necessidades físicas. Respirar, comer, dormir, ter água e comida e roupas e abrigo à disposição são fatores indispensáveis para a sobrevivência humana: se necessidades como essas não fossem atendidas, o corpo do indivíduo pereceria, impedindo-o de “subir” para a satisfação das necessidades mais avançadas.

Necessidades de segurança

Somente uma vez satisfeitas às necessidades físicas, o indivíduo tende a olhar para aquelas relacionadas à segurança, seja a segurança e estabilidade financeira ou a segurança pretendida como proteção contra possíveis riscos e danos à saúde e à sobrevivência física.

É, sobretudo, a criança que sente preeminente este nível de necessidades, que no adulto se traduziria na procura de um emprego permanente, sobretudo quando se olha a segurança do ponto de vista econômico.

As necessidades de pertencimento

O próximo passo na pirâmide de Maslow é representado, no entanto, pelas necessidades de pertencimento social. O indivíduo precisa se sentir parte de um grupo, seja ele pequeno ou grande.

Um exemplo, talvez o mais importante, de um “pequeno” grupo social ao qual se vincula o pertencimento é representado pela família. Enquanto entre os “grandes” grupos sociais dentro dos quais atendem às suas próprias necessidades de membros estão às comunidades e instituições religiosas.

Se não forem atendidas, no entanto, necessidades como essas podem levar a uma sensação geral de solidão, bem como a formas de depressão ou ansiedade social. Mais uma vez, seria, sobretudo, o indivíduo em tenra idade sentir as mais fortes necessidades de pertença.

As necessidades de estima

A última das “necessidades de deficiência” teria a ver com a autoestima. Os indivíduos precisam ter o seu valor e importância reconhecidos e não raramente é esse o motivo que os leva a ocupar cargos de prestígio ou a perseguir determinados hobbies.

Em seu modelo o psicólogo se refere, entre outras coisas, a duas formas diferentes de estima: uma, mais “inferior”, é aquela que vem dos outros e que muitas vezes beira o prestígio, a fama etc., enquanto a outra, de nível superior, é essencialmente a autoestima e tem a ver com a busca de liberdade, independência, autoconfiança.

As necessidades de autorrealização

O nível mais alto da pirâmide de Maslow, que é a necessidade mais evoluída na hierarquia marcada pelo estudioso, é, portanto, a de autorrealização. A autorrealização tem a ver com o melhor, com os mais altos potenciais de cada indivíduo e, sobretudo, com a sua realização.

Não deveria surpreender, portanto, que alcançar a autorrealização possa significar algo diferente para todos: o pai ideal, o atleta perfeito, o pintor apreciado podem ser formas de autorrealização. O que Maslow quer dizer com autorrealização, afinal, é se tornar o melhor do que se pode ser.

Autorrealização: algumas reflexões sobre a necessidade mais evoluída segundo as teorias de Maslow

Nessa formulação “clássica” da hierarquia das necessidades, porém, não parece haver uma dimensão ética ou moral. O objetivo, por assim dizer, da autorrealização não é de fato servir, fazer o bem à sociedade, embora uma consequência quase direta da autorrealização como pessoa seja quase sempre beneficiar os outros.

Somente em uma versão “revisada” de sua pirâmide, um Maslow mais tarde introduz o conceito de “autotranscendência”: o indivíduo se torna completamente realizado, escalando e satisfazendo plenamente sua pirâmide de necessidades, se ele se dedicar a objetivos mais elevados, externos a si mesmo, que têm a ver com uma visão altruísta, holística, mística da vida. Até a próxima!

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado.