A nova Corrida do Ouro: Por que todo mundo está falando sobre NFTs

O mercado de criptomoedas se move em ondas. O Bitcoin continua sendo o líder indiscutível da indústria de blockchain, mas à medida que os principais bancos e fundos de investimento acumulam BTC, os investidores de varejo não se contentam mais em apenas comprar ações em baixa para lucrarem com a valorização dos ativos. 

 

Eles sempre tentam encontrar “a próxima grande coisa” que seria capaz de repetir o sucesso incomparável da criptomoeda original. Primeiro foram as altcoins, depois foram as ICOs (que era outro nome para altcoins), em 2020 foi DeFi (que era mais um nome para altcoins). Agora surgiram as NFTs. 

 

As NFTs já podem ser declaradas a tendência de criptografia mais popular deste ano, mas, diferentemente das modas anteriores, as NFTs não são apenas altcoins renomeadas, elas são diferentes de tudo que já vimos antes e vieram pra ficar.

O que são NFTs?

Uma das razões para o rápido aumento da popularidade das NFTs é que é muito fácil entender o que elas são. Imagine colecionáveis ​​como cartões de beisebol ou obras de arte como pinturas, armazenados apenas na forma de tokens em um blockchain.

 

Isso é o que os NFTs são essencialmente: colecionáveis ​​digitais mantidos em um livro-razão descentralizado. A palavra NFT é uma abreviação de “Non-Fungible Token”. 

 

Os tokens típicos de criptomoedas, como os milhares de altcoins lançados na rede Ethereum, são todos fungíveis. Isso significa simplesmente que 1 token XYZ em sua carteira vale exatamente o mesmo que 1 XYZ na carteira de qualquer outra pessoa. 

 

É o mesmo com moedas tradicionais como euro ou dólar. 1 dólar na sua conta bancária tem o mesmo valor que 1 dólar no bolso de alguém. A palavra “não fungível” significa que todos os NFTs são únicos e cada um deles tem um valor individual diferente. 

Simplificando, os NFTs são colecionáveis ​​de natureza muito semelhante aos cards tradicionais de beisebol. Uma carta comum pode não valer nada, mas uma carta muito rara pode valer milhões.

A história dos NFTs

NFTs não são de forma alguma uma coisa nova. O primeiro projeto NFT chamado CryptoPunks foi lançado em 2017. Originalmente, os personagens de arte de 10.000 pixels chamados CryptoPunks foram criados, e qualquer pessoa com uma carteira Ethereum poderia reivindicar uma para si gratuitamente.

 

Naquela época, os NFTs não eram considerados uma oportunidade de negócios, mas uma novidade boba só pretendia tornar a criptografia um pouco mais popular.

 

O primeiro projeto NFT que ganhou reconhecimento mais amplo foi o Crypto Kitties. Os Crypto Kitties não eram muito diferentes dos CryptoPunks – a única diferença era que, em vez de coletar “punks” de pixel art, os usuários coletavam animais de estimação digitais.

Por alguns anos, projetos como Crypto Kitties foram apreciados apenas por um pequeno número de entusiastas do Ethereum. NFTs não eram realmente considerados um investimento naquela época. Eles eram apenas colecionáveis ​​divertidos que utilizavam a nova e excitante tecnologia blockchain.

A Revolução NFT

A situação mudou em 2020, com o advento das soluções DeFi ( finanças descentralizadas). Os desenvolvedores do DeFi reinventaram os tokens não fungíveis e logo começaram a encontrar novas aplicações para o que antes era considerado uma mera novidade.

 

Os projetos NFT de hoje são muito mais avançados do que os CryptoPunks e CryptoKitties originais. Graças à tecnologia de contratos inteligentes, quase tudo pode ser tokenizado e armazenado no blockchain, e as NFTs criadas agora podem ser muito complexas.

 

Um bom exemplo é a pintura virtual NFT do fundador da Ethereum, Vitalik Buterin, intitulada “EthBoy”, que foi vendida por 260 ETH (quase meio milhão de dólares nos dias de hoje). 

 

O EthBoy é muito mais do que apenas uma imagem armazenada no blockchain, é uma obra de arte totalmente interativa que muda sua aparência todos os dias com base em dados externos, como o preço do ETH e as taxas de gás do Ethereum.

O futuro dos NFTs

O momento inovador na história das NFTs aconteceu quando o fundador do Twitter, Jack Dorsey, vendeu a NFT do primeiro tweet que ele fez por US$ 2,9 milhões. 

 

De repente, todos perceberam que há dinheiro a ser feito com tokens não fungíveis, e celebridades como Lil Pump, Lindsay Lohan e Paris Hilton começaram a vender seus próprios NFTs. Até Elon Musk twittou sobre a venda de um NFT, mas acabou recusando todas as ofertas.

 

Talvez ainda mais importante do que celebridades individuais vendendo NFTs é o fato de que muitas empresas de renome estão agora lançando seus projetos NFT licenciados. 

 

Os dois melhores exemplos são NBA Top Shot e Sorare, que permitem que as pessoas troquem cartões virtuais de beisebol e futebol, respectivamente.

 

Os NFTs estão ficando mais avançados e complexos. Atualmente, muitas empresas estão trabalhando na utilização de NFTs para criar videogames baseados em blockchain, o que pode tornar os tokens não fungíveis ainda mais populares. 

 

Ao contrário da mania da ICO de 2018, o fenômeno NFT é construído sobre fundamentos tecnológicos exclusivos. Quem sabe, talvez no futuro possuir um projeto NFT se torne tão comum quanto possuir um site?

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *